Pesquisas Concluídas

Título
LAZER, SUSTENTABILIDADE E MEIO AMBIENTE: PESQUISA EXPLORATÓRIA SOBRE SABERES E EXPERIÊNCIAS DESENVOLVIDAS NA AMÉRICA LATINA

(2012 – 2014)

Apoio: CNPq, FAPEMIG.

Equipe:
Profa Dra. Christianne Luce Gomes – Coordenadora
Prof. Dr. Rodrigo Antonio Elizalde-Soto – Subcoordenador
Prof. Ms. Leonardo Lincoln Leite Lacerda – Pesquisador
Profa. Dra. Mirleide Chaar Bahia – Pesquisadora
Acad. Ingrid Barbosa Moreira – Bolsista de Iniciação Científica – Pibic/CNPq
Acad. Rodrigo Lage Pereira Silva – Bolsista de Iniciação Científica – Probic/Fapemig

Descrição:

Esta pesquisa articulou as temáticas lazer, sustentabilidade e meio ambiente na América Latina e teve como objetivo geral estudar e compreender de que maneira o lazer pode colaborar com a sustentabilidade e com os desafios ambientais do presente a partir dos saberes e experiências destacados por programas latino-americanos de pós-graduação em sustentabilidade e meio ambiente que integram a Rede CLACSO. De enfoque qualitativo, a metodologia da pesquisa foi baseada em estudo bibliográfico, aplicação de questionários e realização de entrevistas com professores, alunos e ex-alunos de programas vinculados à Rede CLACSO de Pós-graduação desenvolvidos em sete países latino-americanos: Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, Cuba, Equador e México. A análise dos resultados seguiu a estratégia de análise de conteúdo. Respondendo às perguntas que guiaram a investigação, o lazer/ocio foi entendido de distintas formas, sendo tratado majoritariamente como algo oposto e diferente do trabalho e das atividades rotineiras. Quando tal relação foi explicitada, foi pela perspectiva do descanso, no sentido do lazer restituir a força produtiva do ser humano. No que se refere à sustentabilidade, constou-se significativa influência do Relatório Brundtland, especialmente no que concerne à preocupação com preservação de recursos para gerações presentes e futuras, sendo indicadas algumas ressalvas por certos conteúdos desatualizados do documento. Os termos sustentabilidade e desenvolvimento sustentável foram assimilados pelo grupo como sinônimos ou similares. Considerando a contribuição do lazer para a sustentabilidade, foi enfatizada sua possibilidade de modificação de hábitos e comportamentos, primordialmente no que diz respeito à diminuição da influência consumista nesse meio e da elevada valorização de bens materiais. A inter-relação lazer e meio ambiente não é facilmente percebida pelos voluntários, reforçando as limitações existentes entre os campos do saber aqui abarcados. Por outro lado, revela um potencial para descobrir outras formas de avançar nos desafios atuais, principalmente quando se trata da (in)sustentabilidade global, que requer estudos sistematizados e aprofundados. Possibilidades de estudos promissores nesse sentido vinculam-se com a educação ambiental e com algumas vertentes do turismo (como o turismo ecológico, o ecoturismo e o agroturismo), por serem áreas com certa proximidade e pela facilidade de interação. Experiências locais que articulam as temáticas pesquisadas foram destacadas de forma pontual, como intervenções em trilhas, caminhadas ecológicas, atividades em parques/reservas ecológicas e a própria relação da universidade com a comunidade local. A pesquisa desvelou outros resultados, tais como a confirmação de escassez de profissionais da área ambiental capacitados para lidar com a temática do lazer, provavelmente em decorrência da incipiente relação ou carência de estudos e vínculos entre lazer-sustentabilidade-meio ambiente, inclusive no meio acadêmico. Percebe-se a relevância de socializar esses conhecimentos entre acadêmicos, instituições públicas e privadas, e sociedade em geral, a fim de gerar debates que permitam eclodir alternativas de análise para essa temática.
Palavras-chave: Lazer; Sustentabilidade; Meio Ambiente; Educação; América Latina.

Pesquisa Lazer e Sustentabilidade – Relatorio Final

Formação de recursos humanos para a área do Lazer na América Latina: Análise dos Mestrados em Lazer/Recreación/Tiempo Libre do Brasil, Costa Rica, Equador e México

(2009 – 2012)

Apoio: CNPq, FAPEMIG, Ministério do Esporte

Equipe:

Coordenação
Profa. Dra. Christianne Luce Gomes – Coordenadora
Prof. Dr. Rodrigo Elizalde – Subcoordenador

Pesquisadores Colaboradores
Profa. Ms. Gabriela Baranowski Pinto
Prof. Dr. José Fernando Tabares Fernández
Profa. Ms. Juliana Schirm Faria
Prof. Dr. Víctor Alonso Molina Bedoya
Profa. Dra. Vânia de Fátima Noronha Alves

Bolsistas de Iniciação Científica
Ana Carolina Assis Riberiro – PIBIC/CNPq
Joyce Kimarce do Carmo Pereira – PROBIC/FAPEMIG

Descrição:

Esta pesquisa focalizou cinco programas de mestrado em Lazer/Tiempo Libre/Recreación desenvolvidos em quatro países latino-americanos – Brasil, Costa Rica, Equador e México – e teve como objetivo analisar suas respectivas propostas de formação, buscando conhecer similaridades e diferenças. A metodologia combinou distintas estratégias: pesquisa bibliográfica, análise documental, entrevistas e grupo focal. O estudo comparativo foi utilizado como método de investigação. Os resultados evidenciaram que os entrevistados do México, majoritariamente, conceituam o ocio como uma experiência subjetiva. Na Costa Rica, o conceito de ocio é tomado como sinônimo de esparcimiento, sendo este associado ao aspecto da atitude ao proporcionar sentimento de bem-estar. A maioria dessas abordagens, em geral, fundamenta-se em teorias desenvolvidas nos Estados Unidos, Canadá e/ou Espanha. No Equador os entendimentos foram variados e, no Brasil, o lazer foi compreendido como um fenômeno cultural, contrastando com os demais países. Quanto aos entendimentos de recreação/recreación dos entrevistados, a ideia de atividade ou de ocupação do tempo livre foram os elementos centrais para caracterizá-la em todos os mestrados. Na proposta brasileira os estudos sobre a recreação não vêm sendo contemplados. O tempo livre foi compreendido predominantemente como uma porção de tempo que não está dedicada ao trabalho ou às obrigações. Foi possível constatar aspectos em comum e diferenciadores dos mestrados estudados. A maioria é realizada em grandes centros urbanos e foi criada na última década, coincidindo com o período em que a educação universitária latino-americana mais se abriu às demandas do mercado. Três das cinco universidades são públicas, contudo, apenas uma proposta é gratuita e tem enfoque acadêmico, as demais são profissionais. Embora a importância da pesquisa seja reconhecida em todos os cinco mestrados, os profissionais tendem a priorizar a aplicação de conhecimentos técnicos/pedagógicos/administrativos. Todos os mestrados estão abertos a profissionais provenientes de diversas áreas do conhecimento, mas, a maioria dos discentes e docentes é formada em educação física. Somente um programa exige que todos os professores sejam doutores e apenas no Brasil eles trabalham em tempo integral na universidade, o que também ocorre com alguns docentes da Costa Rica. Todas as propostas prevêem a elaboração de um trabalho final como condição para concluir o mestrado, mas, o formato é diferente conforme o país, assim como a composição da comissão avaliadora. O índice de titulação ainda é baixo nos quatro mestrados profissionais, evidenciando algumas dificuldades em termos de eficiência terminal. A relevância das políticas públicas e sociais de lazer/tiempo libre/recreación foi unânime entre os 25 entrevistados, mas, foi constatado que ainda são incipientes as pesquisas e os estudos sobre essa temática, que requer problematizações e aprofundamento de conhecimentos neste âmbito. A maioria dos programas de pós-graduação estudados mencionou vínculos de cooperação e intercâmbio, mas, na pesquisa, poucos indicaram a realização de ações concretas, o que evidencia a importância de firmar parcerias voltadas para a articulação e a integração regional latino-americana.

Relatório Final : Formação de recursos humanos para a área do Lazer na América Latina: Análise dos Mestrados em Lazer/Recreación/Tiempo Libre do Brasil, Costa Rica, Equador e México

Título:

Análise dos conhecimentos sobre o Lazer nos cursos de Graduação em Turismo do Estado de MG

(2008-2010)Descrição:

Esta pesquisa contou com o apoio da Fapemig (PPM II) e do CNPq (Edital Universal) e foi concluída em julho de 2010. Teve como objetivo geral diagnosticar e analisar os conhecimentos desenvolvidos sobre a temática do lazer nos currículos dos cursos de Graduação em Turismo de 26 Instituições de Ensino Superior de Minas Gerais. A metodologia foi baseada em pesquisa bibliográfica e documental, complementada com 45 entrevistas realizadas com 24 coordenadores e 21 professores responsáveis por atividades acadêmicas relacionadas ao lazer nos cursos investigados.

A pesquisa documental constatou que, nas Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Graduação em Turismo no Brasil, o termo/conteúdo “lazer” é citado apenas uma vez, sendo abordado como um segmento do turismo. São mencionados os termos “entretenimento” e “informações recreativas”, mas de uma maneira superficial e pontual. O documento evidencia uma ênfase nos aspectos técnicos e operacionais do turismo, considerados insuficientes para garantir uma formação interdisciplinar, crítica, sólida e consistente em nível superior. As Diretrizes não incentivam a prática da pesquisa na formação acadêmica em Turismo e os trabalhos de conclusão de curso (TCC) não são obrigatórios na graduação, o que compromete a produção de novos conhecimentos neste campo.

No que se refere aos entendimentos de lazer dos coordenadores e dos professores, os resultados das entrevistas evidenciaram a existência de várias compreensões, o que também foi verificado na revisão da literatura. Predomina uma compreensão de lazer fortemente ligada ao “uso do tempo livre” e a “atividades recreativas e de entretenimento” em equipamentos turísticos. Foi possível perceber uma certa confusão entre os termos “lazer”, “recreação” e “entretenimento”. As relações constituídas entre o lazer e o turismo constituíram um tema polêmico que dividiu as opiniões dos voluntários entrevistados e demonstrou diferentes interpretações. Apesar das visões dos entrevistados serem muitas vezes divergentes, entende-se que o lazer e o turismo possuem particularidades e apresentam tênues fronteiras enquanto campos de vivências, de estudos, de formação e de intervenção. Sobre o papel do lazer na formação do turismólogo, foram constatados dois enfoques divergentes: Por um lado, há uma perspectiva crítica do lazer e, por outro, observa-se uma perspectiva mercadológica do lazer no contexto do turismo, abordagem que predominou entre os entrevistados.

Todos os cursos de Graduação em Turismo de Minas Gerais investigados oferecem, em seus currículos, pelo menos uma disciplina sobre o lazer. Os conhecimentos abordados incluem a discussão de vários temas, sendo verificada uma grande diversidade nas 26 IES pesquisadas. Alguns entrevistados destacaram que os conteúdos a serem trabalhados pelo lazer nos cursos de Graduação em Turismo precisam ser contextualizados nesta área. As metodologias utilizadas são semelhantes e vários entrevistados afirmaram que a carga horária é dividida entre teoria e prática. Foi também constatada a escassez de pesquisas sobre a temática do lazer e também sobre o turismo, um aspecto que não integra as Diretrizes Curriculares que orientam a formação, nessa área, no Brasil. Além de alguns projetos de pesquisa, foram citadas algumas ações de extensão e a constituição de cinco grupos de estudos, sobre a temática do lazer, vinculados à Graduação em Turismo no Estado de Minas Gerais. Este número poderá ser substancialmente ampliado quando as instituições pesquisadas passarem a investir em pesquisas na área do Turismo, o que é fundamental para a qualificação acadêmica, para a formação profissional e, sobretudo, para a produção de novos conhecimentos.

A investigação evidenciou a importância de repensar a visão instrumentalizada que caracteriza a “recreação” e a “animação turística”, valorizando a sistematização de “práticas de lazer refletidas” no decorrer do processo de formação acadêmica em Turismo. Práticas pedagógicas que sejam contextualizadas, sistematizadas, consistentes e críticas e, para isso, o diálogo com a teoria e a prática da pesquisa são fundamentais. Além disso, é essencial superar a visão técnica que permeia a formação/ação do bacharel em Turismo e aprofundar conhecimentos multi/interdisciplinares sobre o lazer na Graduação, buscando conferir uma maior consistência teórica e crítica à formação e à atuação profissional na área.Atualmente, é preocupante a situação da formação em Turismo em nível superior não somente em Minas Gerais, mas, em todo o Brasil, pois, a célere expansão dos cursos observada nos anos finais da década de 1990 experimenta, hoje, as consequências deste crescimento desordenado. Atualmente, o que se observa é o fechamento massivo de cursos de Graduação em Turismo, mas isso só é observável nas instituições particulares e decorre de vários aspectos, sendo o mais significativo a não composição de novas turmas que leva ao inevitável fechamento dos cursos. Isso indica que uma área tão importante quanto o turismo não pode ser tratada apenas pela perspectiva de mercado e da obtenção de lucro, pois suas implicações sociais, culturais, históricas, políticas e pedagógicas são muito significativas, requerendo cuidados especiais a médio/longo prazos que envolvem diferentes setores da sociedade.

Acesse os dados do grupo no diretório do CNPQ.

Relatórios de Pesquisa:

Título:

Lazer na América Latina – Ócio y recreación en Latinoamérica

Este projeto colaborativo teve como objetivos sistematizar e socializar informações relativas ao lazer na América Latina. O estudo foi proposto pelo Brasil (UFMG/ME/SESI-DN) contando com a parceria da Colômbia (Funlibre) e do Chile (Universidad Bolivariana), países onde existem profissionais, gestores, docentes e pesquisadores que, na atualidade, vem somando esforços para ampliar o intercâmbio de conhecimentos e experiências sobre o lazer no contexto latino-americano. A principal meta foi obter a participação, no estudo, de países latino-americanos que são membros da ONU, dando uma visibilidade maior sobre o lazer neste contexto e ampliando os diálogos entre os países que integram a América Latina.Este projeto foi de fundamental importância, uma vez que é urgente a necessidade de documentar e dar visibilidade aos conhecimentos produzidos neste contexto, assim como de estreitar os vínculos entre as Nações que integram a América Latina, que tem limites e potencialidades distintos da realidade verificada nos demais continentes e, justamente por essa razão, se ressente do parco intercâmbio até então promovido entre os países que a constituem.

No decorrer dos trabalhos foi possível identificar e fazer contato com profissionais de 17 países, além do Brasil. Entretanto, contamos com a participação efetiva de 16 autores pertencentes a 8 países distintos, que produziram e concluiram seus respectivos estudos sobre o lazer na Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Cuba, México, Uruguai e Venezuela, abordando assim a realidade do lazer nesses países.

Cada pesquisador ou grupo de pesquisadores responsáveis pelo estudo do tema em seu contexto sistematizou os dados coletados para retratar aquela realidade conforme sua preferência e possibilidade de aprofundamento teórico-metodológico. Assim, diferentes perspectivas de análise e reflexão foram adotadas e todas são consideradas importantes porque essa diversidade revela o que há em comum em nossos países, o que existe de diferente e também as múltiplas possibilidades de trocas solidárias em termos de aprendizado coletivo sobre o lazer enquanto um campo de vivências, estudos, formação e intervenção.

Os estudos realizados pelos participantes do estudo, em seu conjunto, mostram uma valiosa diversidade de visões e perspectivas. Algumas idéias são controvertidas e, em muitos casos, ao serem confrontadas revelam oposições e até mesmo contradições. Por sua vez, consideramos que os níveis de profundidade, consistência teórica e análise crítica, adotados em cada estudo, são distintos. Ademais, as visões dos pesquisadores não refletem, necessariamente, as opiniões de todos os participantes da investigação. De maneira semelhante, várias abordagens podem não representar as idéias de seu país como um todo, sendo um olhar entre os vários possíveis. Tal encaminhamento foi considerado fundamental para instigar, futuramente, interessantes diálogos, profícuos debates e outras possibilidades de intercâmbios de conhecimentos e de experiências nos campos acadêmico, político, social, cultural, pedagógico e profissional.

Em síntese, esta pesquisa colaborativa confirmou a necessidade de estreitar vínculos no contexto latino-americano e evidenciou as complexidades presentes em nossas realidades, assim como a importância de dar continuidade a este tipo de intercâmbio de saberes e experiências que revelam a diversidade marcante em nossa região.

Os resultados da pesquisa foram sistematizados para publicação da 1ª edição de livro impresso, com tiragem/distribuição gratuita, contribuindo de maneira decisiva para o alcance dos objetivos propostos. Os recursos para financiar a investigação foram concedidos pelo ME, pelo SESI Nacional e pela Universidade Bolivariana do Chile. A 2ª edição da obra foi publicada pela Editora UFMG.

Relatório Final:

Título:

Reflexões sobre o lazer no contexto da pós-graduação stricto sensu em turismo no Brasil

Descrição:
Esta pesquisa foi desenvolvida por meio de um estudo bibliográfico-documental de quatro cursos de mestrados em Turismo/Hospitalidade no Brasil e contou com três objetivos: a) identificar o enfoque predominante na pós-graduação stricto sensu em Turismo e Hospitalidade; b) verificar se os conhecimentos produzidos no âmbito de quatro cursos de mestrado em Turismo e Hospitalidade contemplam aspectos referentes ao lazer e c) discutir a importância de se relacionar o lazer e o turismo.

De forma predominante, os cursos analisados se remetem à discussão do planejamento e da gestão. Foi constatado que três dos quatro cursos de mestrado acadêmico pesquisados contemplam a temática do lazer, os quais apresentam uma margem de aproximadamente 5% de dissertações defendidas nesta vertente. Essa inter-relação se mostra relevante para desenvolver a percepção do turismo além do saber-fazer da prática atual, utilizando novas categorias de análise para o alcance de uma visão multi/interdisciplinar. O campo de estudos sobre o lazer – fundamentado principalmente nas Ciências Humanas e Sociais – pode contribuir sobremaneira com as reflexões sobre o turismo enquanto um fenômeno que, além de econômico, é também sociocultural. Os referenciais geralmente enfatizados na área do turismo precisam ser repensados, pois não atendem a necessidade de abordá-lo em uma perspectiva abrangente.

Os resultados evidenciaram, ainda, a importância de ampliar o entendimento do turismo para além dos aspectos que vem sendo estudados nos cursos analisados. Um novo olhar para o turismo indica que os referenciais geralmente enfatizados precisam ser repensados, pois, não atendem integralmente as necessidades de análise multi/interdisciplinar do turismo em uma perspectiva mais ampliada, que também contemple aspectos referentes ao lazer. Obs: Pesquisa de recém-doutor de Christianne Luce Gomes.

Relatório Final:

Título:

Lazer, idosos e inclusão social: Explorando o potencial dos interesses turísticos na perspectiva da animação sociocultural

Descrição:
Esta pesquisa, apoiada pelo Ministério do Esporte/Rede Cedes, teve como principal objetivo aprofundar conceitos básicos sobre as temáticas lazer, turismo, velhice e inclusão social, tendo em vista apontar possibilidades de atuação profissional no âmbito dos interesses turísticos do lazer. Inicialmente, focalizamos principalmente a perspectiva da animação sociocultural, mas, no decorrer da pesquisa sentimos a necessidade de ampliar o estudo. Assim, consideramos também outras estratégias de intervenção, com enfoque educativo, que pudessem auxiliar a sistematização de fundamentos para enriquecer as possibilidades de atuação junto a pessoas idosas.

Ressaltamos que a execução deste projeto foi fundamental, uma vez que as políticas públicas nas áreas do esporte, lazer e turismo carecem de aprofundamentos no âmbito das intervenções com enfoque educativo, tendo em vista potencializar as vivências do turismo de lazer por meio de uma atuação profissional mais qualificada para atuar com pessoas idosas.

Ao contrário dos países desenvolvidos que constituíram uma cultura de apoio e valorização ao idoso, principalmente por estar enfrentando este processo há mais tempo, nações em desenvolvimento, como o Brasil, carecem de pesquisas que permitam aprofundar conhecimentos com vistas a qualificar a intervenção junto a essa população, tendo em vista a promoção de uma vida com mais qualidade na velhice (OMS, 2005). Além disso, tanto a velhice quanto o turismo são temas de pesquisa ainda recentes em nossa realidade e que raramente apresentam considerações sobre o lazer das pessoas idosas, bem como sobre a sua importância nesta fase da vida.

Destacamos que o lazer, além de integrar o Estatuto do Idoso (art.3º, 20º, 23º e 50º), está presente na Declaração Universal dos Direitos Humanos (art. 24) e na Constituição Federal do Brasil (art. 6˚, 217 e 227), onde figura como direito social de todo cidadão brasileiro, que não pode ser negligenciado em nenhuma fase da vida, especialmente na velhice. Essa diretriz também vem sendo apontada na recente Política Nacional de Promoção da Saúde, em vigência desde de 2006, que tem como objetivo geral “Promover a qualidade de vida e reduzir vulnerabilidade e riscos à saúde relacionados aos seus determinantes e condicionantes – modos de viver, condições de trabalho, habitação, ambiente, educação, lazer, cultura, acesso a bens e serviços essenciais.”

Dessa maneira, observou-se a importância de aprofundarmos conhecimentos sobre as temáticas lazer, idosos e inclusão social, bem como a urgência de qualificar as intervenções educativas no âmbito do turismo.

As atividades realizadas no decorrer do estudo envolveram uma pesquisa bibliográfica que contemplou os principais conteúdos investigados: lazer, turismo, idosos, inclusão social e possíveis estratégias de intervenção profissional. Formou-se um grupo de pesquisa com a participação de pesquisadores, professores e estudantes dos cursos de graduação em Educação Física e em Turismo. Foram realizadas reuniões científicas, atividades administrativas, ações de apoio técnico-logístico e de revisão. O grupo também participou de eventos científicos, divulgando o estudo em congressos, seminários, eventos pedagógicos e culturais, onde teve a oportunidade de dialogar sobre alguns dos conhecimentos que foram sendo acumulados e (re)elaborados ao longo do processo.

Como principais resultados desse projeto destacamos as possibilidades de reunir elementos que possam auxiliar a reflexão sobre os temas pesquisados. Por último, a investigação possibilitou a elaboração de um texto/produto final, no formato de livro, que poderá fornecer subsídios teórico-práticos para a qualificação de agentes para atuarem no âmbito dos interesses turísticos de lazer com o público idoso.

Relatório Final:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s